Sabatinas sobre o ódio

Aclamada pela série documental sobre intolerância, gravada na Síria, na Venezuela e na Hungria, uma cineasta alemã prepara um novo segmento filmado no Brasil. Reúne material de arquivo e entrevista sociólogos, filósofos e cientistas políticos, além dos irmãos Alexandre e Raquel Tommazzi, por conta de um episódio ocorrido em fevereiro de 2018, quando ambos foram pivôs de uma briga familiar iniciada depois de um ataque sofrido por Raquel durante um debate em São Paulo.

Essa é a premissa de Solução de dois estados, novo romance de Michel Laub. Desse ponto em diante, a estrutura, que emula um plano de edição, arma-se por meio de cortes de depoimentos e pontuais conteúdos extras, numa montagem na qual fragmentos de informação vão se encaixando e fazendo sentido ao se tornarem contexto.

Cada irmão é sabatinado separadamente e, a partir de suas altercações com a entrevistadora, arrevesam seus passados, seus traumas, seus ressentimentos, seus ódios, suas linhas de raciocínio, suas ideologias, seus equívocos e, num encasar de fatos, o motor da dissensão que resultou no explosivo ato de brutalidade.

Alexandre, o mais velho, carrega uma fervura de rancor e frustração por ter vivido a ruína financeira da família, devido ao Plano Collor, e o esforço do pai em custear a estada da filha na Europa, enquanto ele teve de sobreviver em meio aos destroços. Caiu sobre seus ombros, ainda na adolescência, a obrigação de cuidar da casa e da manutenção da vida durante a falência, que matou seu pai e, anos mais tarde, no fogo de uma disputa por herança, a mãe. Agora, aos 40 anos, casado e com filhos, é empresário do ramo fitness, com conexões com pastores e milicianos. Defende uma visão de mundo polarizada e procede socialmente segundo a cartilha da direita raivosa.

Raquel, por outro lado, voltou de Londres para acompanhar os últimos dias da mãe. Pesando mais de 100 quilos, é artista performática que converteu a violência do bullying, sofrido na infância, em gatilho para vídeos em que aparece nua, sendo espancada, os quais repercutiram em sites pornográficos. A natureza açuladora de seu trabalho, supõe-se, foi o estopim para um homem invadir o evento em que participava e atacá-la selvagemente com uma barra de ferro. Porém, por conta de alguns comentários à boca miúda e da contenda familiar, existe a suspeita de que o agressor era um pau-mandado do seu irmão.

Tecnicamente, o romance é impecável em todos seus componentes de enredo: desenvolvimento do argumento central, transições, ritmo, vozes narrativas, construção de personagem, articulação dos blocos estruturais. Contudo (ou ademais), o grande mérito está nas mensagens que correm subterrâneas à narrativa, estabelecendo pontes e alvos, dentro e fora dos limites paginados, com a atual política atual, a cultura do cancelamento, a barbárie chancelada do nosso tempo.

Entre obviedades e subentendimentos, Laub, por exemplo, aborda a intolerância ao apelidar Raquel com o nome de uma personagem de Monteiro Lobato (apurem) e evoca o embananamento dos patrocinadores com episódios polêmicos ao praticamente transcrever a nota oficial que um determinado banco soltou na ocasião de uma controvérsia referente a uma exposição.

Além disso, apesar de falas radicais e pontos de vista nocivos, hostis, o autor, a nenhum momento, vilaniza um lado ou outro, inclusive levando ambos os personagens a extremos da complexidade humana que deslocam o leitor de qualquer perspectiva ou conclusão simplista de mocinho e bandido. Mesmo Brenda, a cineasta alemã, que funciona meio como uma bússola moral, guarda feridas do passado que, em dado momento, desconstrói sua postura diante dos relatos aos quais parecia imune.

A despeito de todos temas acalorados que toca, Solução de dois estados está longe de ser um livro-manifesto, um livro partidário. É, de fato, uma inteligente e muito bem conduzida peça de reflexão, peça de debate.

***

Livro: Solução de dois estados

Editora: Companhia das Letras

Avaliação: Excelente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s