A travessia fatal do médico errante

Mostra a História que a Guerra do Paraguai foi o conflito armado mais sangrento ocorrido na América do Sul. Sob as ordens do ditador Solano López, o exército paraguaio se reforçou de 80 mil homens a fim de operar ações de domínio por territórios vizinhos. As invasões foram firmemente combatidas pela Tríplice Aliança, união entre Brasil, Argentina e Uruguai, num confronto que durou sete anos (1864 – 1870) e envolveu 150 mil soldados. No fim, o Paraguai saiu derrotado, deixando um rasto de 50 mil mortes.

Para onde vão os cavalos quando morrem, do argentino Marcelo Britos, tem início logo após a Batalha de Curupaiti, realizada em 1866, às margens do rio Paraguai. Arruinado emocionalmente, o médico Mariano De Omar abandona o acampamento a reboque de uma promessa feita a um combatente moribundo de levar seu cavalo até os sobrinhos em Buenos Aires. A travessia será feita na companhia do ambíguo Flores e passará por um cenário de perigos, devastação geográfica e desgraça humana; os despojos sociais com os quais um país montará o eixo com o qual efetuará a transição para a modernidade.

Britos consegue, com uma prosa lírica e magnética, mergulhar o leitor de forma sufocante nos horrores da guerra, oferecendo uma experiência física do presenciar de um genocídio. Não apenas pelo relato da crueza no front e do sangue na terra, mas pelo vazio de moralidade e triunfo de doenças. A propósito, uma das passagens mais chocantes ocorre quando o médico faz um procedimento numa menina com o rosto tomado por uma infecção. Confesso: foi preciso dar uma pausa e respirar.

Sob a camada magnificamente descritiva da aventura errante, a trama transborda valor histórico e comentário político, bem urdidos por um estilo que combina fatos com o arroubo da imaginação. Difícil não lembrar dos livros do norte-americano Cormac McCarthy, numa combinação entre Meridiano de sangue e A estrada, contudo não passa de uma conexão incidental ao universo de uma novela que converte, de maneira original, a busca pelo sentido da vida na captura dos fantasmas de um tempo.

Para onde vão os cavalos quando morrem é um livro insuperável.

 

 

***

 

 

Livro: Para onde vão os cavalos quando morrem

Editora: Substânsia

Avaliação: Excelente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s