A saudade é o móvel da sala

Em re-cordis, a pernambucana Ágnes Souza parte de um esforço consciente para construir sua poesia através da supressão da forma. O resultado, parafraseando a epígrafe que toma emprestado um verso da portuguesa Matilda Campilho, é “uma aventura tremenda” pelo limite vocabular, no qual o vazio é tão (ou mais) expressivo que a palavra.

Tudo se quebra, (res)significa-se de partes de si. amor/tecer/a/dor, do poema “amortecedor”. São instantes infinitesimais de um olhar de frente para a vida afora, para o reino de si. A autora encontra seus temas no prosaico, nos sentidos, no corpo do outro e no outro corpo que é a tentativa de decifrar a natureza humana.

quanto mais se compra livros

mais sobra espaço para lembranças,

mais se vive amores com nomes próprios

e amores próprios de sentimentos alheios.

(do belo poema “livreiro”)

Ágnes é direta e livre, sem que isso torne seus versos meras vinhetas. Há uma técnica própria dos aforismos, da métrica que se aparenta a do haicai. Apostando em enlaces sintáticos, a prosa vai se ajustando por meio de aliterações, de um movimento cujo compasso descobre uma sonoridade que prescinde de rima.

a saudade

é o móvel da sala

range de dor

me assusta no escuro

e mansinho se cala.

(de “saudade”)

Na sintonia que calibra a validade de seu conceito, pode-se, assim, ser descrita como uma poesia multifária. Como registro simbólico, é atemporal. Pertence ao agora, mas igualmente ao tempo pregresso, às memórias.

Não por menos, o título vem da origem do verbo “recordar”. O que remete à sentença de abertura de O livro dos abraços, de Eduardo Galeano, que é homenageado com um poema sensível. Escreve assim o escritor uruguaio:

Recordar: Do latim re-cordis, voltar a passar pelo coração

Do vermelho que passa pelo coração da autora, nada se recicla. É fatalista feito a ribalta escarlate, do poema “luz vermelha”.

dançou,

amou,

bebeu e morreu como um ocaso.

A vida é um palco de três versos.

***

Livro: re-cordis

Editora: Moinho

Avaliação: Bom

Anúncios

2 comentários sobre “A saudade é o móvel da sala

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s