A internacional argentina em versos

Poemas pendentes, de Rodolfo Alonso, traz textos inéditos do poeta argentino, aclamado por nomes como Carlos Drummond de Andrade e Murilo Mendes. A edição bilíngue se constitui de dois cortes temporais: composições recentes e outras que ficaram de fora das obras consumadas do autor.

Os versos de Alonso se desconstroem em perseguições multifárias: do próprio homem que imanta à sua órbita uma constelação de sentimentos e observações do que passa pela moldura de seus olhos ao uso de uma matéria que se extrai da história, dos sonhos, da música e da literatura.

Tal diversidade também contamina a forma, que não se limita à classificações entre prosa e prosa poética. Assim, ecoa por todo o livro um vozerio ululante que atinge a tonalidade de uma canção de reverência (como no vigoroso poema dedicado a Maria Bethânia) e a inflexão de um comentário furtivo (A vida não é tão má/Meu gato cinzento voltou, de “Lume”).

Conforme escreveu Drummond, Alonso é detentor de uma “poesia que tenta exprimir o máximo de valores no mínimo da matéria vocabular, impondo-se uma concisão que chega à mudez”. O grande poeta também existe naquilo que repousa por trás do seu silêncio.

***

Livro: Poemas pendentes

Editora: Penalux

Avaliação: Muito bom

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s