Andanças pelo território mínimo

Um romance cabe num microconto, mas um microconto não cabe num romance. Mais que um truque de palavras, a afirmação impõe um desafio estrutural. Tente erigir um enredo nesse território mínimo e inevitavelmente falhará.

Isso porque o microconto é o anterior à obra. São as peças que se originam de uma carpintaria delicada e precisa, de ajustamento milimétrico. Seu tempo de atração é o átimo, o nanossegundo. Portanto há de ser exato, abrasador, fulminante.

Evocando aquela frase do Cortázar (calma, vai valer a pena) o romance vence por pontos, o conto ganha por nocaute e o microconto é um tiro à queima-roupa que mata um dos lutadores e impede que a luta aconteça.

O psicanalista paulista Renato Tardivo tem um carreira literária marcada pela diversidade. Estreou com conto, passou para o ensaio, voltou para o conto e escreve críticas sobre filmes e livros. Agora se lança no gênero do microconto, com Girassol voltado para a terra.

É preciso destacar, no entanto, que nem todos os textos são minúsculos. Há contos de fôlegos maiores que, de certa maneira, condensam os temas que mobilizam o conjunto que os antecedeu.

Não obstante (que seja por contagem), é seguramente uma antologia de microcontos. Nas frases curtas; únicas, nos diálogos breves; solilóquios, nos aforismos; trocadilhos, concentram-se o efeito magnético, o sobressalto do primeiro contato visual que ecoa no leitor e lhe cobra continuidade.

Tardivo se vale da concisão narrativa para conformar legendas para situações cotidianas. Olhares fugazes sobre a vida, a literatura, as redes virtuais, que transitam entre a ironia e o protesto, a sutileza e o impacto, a descontração e a densidade poética.

Um confabulário de palavras insinuantes, possíveis, palavras ocultas, pois, como sentencia o autor, “todo escritor é feito das palavras que esquece”.

Merece elogio ainda o esmero gráfico; as ilustrações de Anna Anjos e o trabalho artesanal de composição do objeto livro. Mas, tratando-se de microcontos, seria um contrassenso do resenhista se alongar. De fato, para fazer justiça ao gênero, a crítica teria de caber numa frase: “Perfeitamente recomendável”.

***

Livro: Girassol voltado para a terra

Editora: Ateliê Editorial

Avaliação: Bom

Anúncios

2 comentários sobre “Andanças pelo território mínimo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s