Memória com molho especial

O maior poder de um livro é arrastar o leitor para dentro de si, edificando uma ponte entre o espaço paginado e os limites exteriores da história. O próximo da fila, primeiro romance de Henrique Rodrigues, alcança esse feito com louvor, ao promover um misto de invenção e de memória.

É incrível como o autor consegue verter para a ficção, através de uma prosa coloquial de ritmo contagiante, um recorte de tempo tão complexo como é a transição da adolescência para a vida adulta. Sobretudo ao situá-lo num cenário bem inusual.

Na passagem dos anos 80 para os anos 90, um adolescente, que acaba de perder o pai, vai trabalhar na mais famosa rede internacional de fast food, a fim de ajudar a mãe nas despesas de casa. Entre esfregar o piso, esvaziar lixeiras e preparar sanduíches, o personagem vai expondo seus receios, suas inadequações, suas percepções diante desse novo mundo e os estranhos que nele habitam.

Rodrigues, autor renomado de livros infantis e juvenis, consegue dar uma voz crível ao seu protagonista, sem derrapar na pieguice dos que falam por meio de adolescentes, e, a partir de suas relações, compor uma estamparia de tipos, um zoo humano.

A lanchonete é uma espécie de laboratório de maturação, onde este descobre o primeiro amor, a primeira transa, o primeiro porre; os estágios que precisam ser superados para se seguir adiante e divisar o futuro.

É o caso do impositivo “gerente de bigode”, cujo dever é zelar pelo cumprimento do Padrão da empresa. Nele está o peso do julgamento, do arbítrio que antes era de domínio dos pais. O protagonista, que gozava de uma vida cômoda e confortável antes de ser confrontado pelo efeito das perdas, tem, com a entrada no mercado de trabalho, o primeiro contato com o desafio da responsabilidade, de lidar com a autoridade fora do cerco familiar. Um movimento de quebrar de vez a casca do ovo, tornar-se capitão de si.

Um assunto nebuloso, composto muito mais por incompletudes que por ideias bem traçadas, mas levado com segurança e domínio técnico por Rodrigues, que consegue distinguir e situar seus personagens em suas épocas por meio de ótimos diálogos.

O próximo da fila é um romance de formação genuíno, que registra a experiência de quem cumpre um tempo para criar asas e atingir voos maiores, dando lugar a um outro que, num ciclo interminável, terá de lidar com essa confusa etapa da vida chamada adolescência.

***

Livro: O próximo da fila

Editora: Record

Avaliação: Muito bom

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s